TRE-RJ confirma inelegibilidade do casal Garotinho

Em troca de voto, Anthony e Rosinha são acusados de beneficiar grupo em concurso

12 de julho de 2007 | 20h08

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) confirmou em sessão desta quinta-feira, 12, a cassação do deputado federal Geraldo Pudim (PMDB-RJ) e a inelegibilidade, por três anos, dos ex-governadores fluminenses Anthony e Rosinha Garotinho e do ex-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Henrique Alberto dos Santos Ribeiro. De acordo com a assessoria de imprensa do TRE, cinco dos seis juízes do Tribunal votaram a favor da inelegibilidade do casal Garotinho. O único voto a favor de Anthony e Rosinha foi do desembargador Rudi Loewenkron. Já Geraldo Pudim foi cassado por quatro votos. Apenas foram contra a cassação os desembargadores Loewenkron e Maria Helena Cisne. Segundo informações do Tribunal, o casal Garotinho e Pudim foram acusados de realizarem uma reunião política ilegal em Sapucaia (RJ), da qual os três teriam participado no dia 12 de setembro do ano passado. No encontro, segundo a Justiça Eleitoral, houve barganha de votos. O ex-governador Garotinho teria prometido asfaltar ruas do município em troca de apoio para o então candidato Geraldo Pudim.DefesaNa semana passada, em seu blog, Garotinho se disse vítima da perseguição "de um delegado da Polícia Federal a serviço do PT e do governador Sérgio Cabral, que é unha-e-carne com o presidente Lula". "O fato de um candidato comparecer a uma reunião de uma categoria para ouvir as suas reivindicações não constitui crime algum", afirmou, no texto.Também havia dito, por meio do blog, que caso fosse condenado, iria recorrer da decisão.(Com Agência Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.