TRE-RJ apóia decisão do TSE de envio de tropas nas eleições

Britto tem carta branca para pedir tropas ao Ministério da Defesa; Britto quer conversar com Cabral antes

Agência Brasil

15 de agosto de 2008 | 12h28

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro, desembargador Roberto Wider, divulgou nota nesta sexta-feira, 15,  manifestando apoio à decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de enviar tropas federais para garantir a normalidade do processo eleitoral em áreas sob atuação de grupos armados. A decisão do TSE atende a um pedido do governador Sérgio Cabral.  Veja também:Candidatos reagem a 'currais' do tráfico e milícias no RioNo Rio, candidata faz campanha com escoltaDeputado suspeito de ligação com milícias é preso no RioConheça os candidatos a prefeito no Rio  Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições   Veja as regras para as eleições municipais  "Eu e o ministro Britto (Carlos Ayres Britto, presidente do TSE) conversamos longamente ainda na noite de quinta-feira e manifestei meu total apoio às decisões do TSE, inclusive colocando à disposição desse esforço toda a estrutura do TRE do Rio de Janeiro. Há uma sintonia muito grande nas nossas visões e preocupações, de maneira que a Justiça Eleitoral vai continuar trabalhando unida para garantir a segurança, a tranqüilidade e a lisura das eleições de 2008", disse o desembargador Wider na nota. O TSE decidiu, por unanimidade, autorizar o envio das Forças Armadas para garantir a segurança durante as eleições municipais no Rio.Com a decisão, os ministros do tribunal deram carta branca para que o presidente do TSE requisite tropas diretamente ao Ministério da Defesa.Antes, no entanto, Britto quer se reunir com o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), que já manifestou a necessidade de tropas no pleito. Traficantes e milícias apóiam candidatos para tentar ter representação política e procuram obstruir a presença de outros candidatos em suas áreas de atuação. Desde o início da campanha, a Polícia Federal e o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) têm recebido diversas denúncias de candidatos a vereador e prefeito que se dizem ameaçados e intimidados pelo tráfico ao tentar subir morros e ir a favelas na capital fluminense.  O ministro Carlos Alberto Menezes Direito, de quem partiu a proposta, explicou que a autorização dada nesta quinta vai dar agilidade ao processo, já que o presidente do TSE terá a prerrogativa de requisitar as tropas. Entre as providências que serão necessárias, estão o mapeamento e a indicação de quais zonas eleitorais necessitam do reforço da força federal.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008TRETSE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.