TRE proíbe divulgação de nova pesquisa no PR

O juiz auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Paraná Luciano Carrasco acatou requerimento da coligação Novo Paraná, que tem o ex-prefeito de Curitiba Beto Richa (PSDB) como candidato ao governo do Estado, e proibiu a divulgação da pesquisa do Ibope, prevista para sábado, véspera das eleições. Esta é a sexta pesquisa com divulgação impugnada no Estado. Registrada sob número 22.938/2010 no TRE, a previsão é ouvir 2002 pessoas entre os dias 29 de setembro e 2 de outubro.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 17h31

Richa liderava as pesquisas de opinião, mas, tão logo os números começaram a apontar um empate técnico com o candidato da coligação A União faz um Novo Amanhã, Osmar Dias (PDT), partiu para representações visando impedir a divulgação. O argumento é de "inconsistência do plano amostral", uma das exigências da Resolução 23.190/2009, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na nova representação, Carrasco acatou a argumentação, destacando particularmente os porcentuais acerca do nível econômico, visto que teriam sido usados índices de estudos anteriores, feitos pelo próprio Ibope, que ele já havia rejeitado. "Não se sabe de onde foram colhidos os percentuais que deram ensejo aos índices anteriores", registrou, no processo, Carrasco.

A pesquisa anterior, também impugnada, estava registrada sob número 22.376 no TRE e deveria ter sido divulgada no dia 23 de setembro. De acordo com o juiz, outro problema refere-se à fonte dos índices de ponderação. No pedido de registro, o Ibope citou que utilizaria os dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad) de 2008. "Já existe o do ano de 2009, cuja diferença relevante foi trazida pelo jornal Gazeta do Povo na matéria do dia 29/09/2010, o que revela distorção que não pode ser levada para a amostragem", afirmou Carrasco.

A diretora do Ibope, Márcia Cavallari Nunes, disse que o instituto recorreria da decisão, enquanto os pesquisadores continuam em campo. Segundo ela, o Ibope fará até o fim das eleições 140 pesquisas no País e todas têm o mesmo formato de registro, com a mesma fonte de dados para amostra, mas houve impugnação somente no Paraná. "A legislação diz que tem que informar, mas não obriga a usar esta ou aquela fonte", afirmou. A diretora disse que no Pnad 2009, que foi divulgado no início de setembro, "proporcionalmente não há mudança significativa na comparação da base de dados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.