TRE-PI cassa prefeito e manda realizar nova eleição

O Tribunal Regional Eleitoral decidiu por unanimidade cassar o mandato do prefeito eleito de Jardim do Mulato, Jerônimo Soares de Sousa (PFL) e do vice-prefeito, João Evangelista Soares, por abuso de poder econômico e compra de votos. O TRE-PI determinou que seja realizada uma nova eleição a partir de janeiro de 2007. O presidente da Câmara Municipal de Jardim do Mulato, vereador Nalianio de Neiva Silva (PMDB), assume o mandato até a referida eleição. O município de Jardim do Mulato fica a 141 Km ao Sul de Teresina. O prefeito eleito Jerônimo Soares foi eleito com 1.469 votos contra os 1.413 votos do seu adversário, Doutor Paulo (PSDB). Com uma diferença de 56 votos. O prefeito já tinha sido cassado por abuso de poder econômico e compra de votos pelo Tribunal Eleitoral, que tinha determinado a realização de uma nova eleição no município. Esta é a segunda eleição determinada pelo Tribunal Eleitoral, em face, a prática de irregularidades durante o pleito. O outro onde houve uma nova eleição foi Cristalândia, que fica a 900 Km ao Sul de Teresina. Jerônimo Soares tinha sido afastado do cargo, mas estava exercendo as funções por força de uma liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "A ordem do TRE-PI é para afastar o prefeito de Jardim do Mulato. A determinação é dar posse ao presidente da Câmara. O prefeito estava no cargo por força de uma liminar e foi cassada", informou o advogado William Guimarães que atuou no caso junto à Justiça Eleitoral. O Tribunal mandou fazer uma nova eleição. "A decisão será executada logo, com a expedição da decisão para a comarca. A decisão é para afastar o prefeito e empossar o presidente da Câmara até a nova eleição que deve acontecer em janeiro. Vai depender da resolução que vai ser publicada pelo Tribunal Eleitoral para fazer uma nova eleição", argumentou o advogado William Guimarães. Em tese, o prefeito cassado não pode concorrer novamente em outra eleição. O relator da matéria no TSE foi o ministro César Asfor Rocha e no TRE-PI, o juiz federal Clodomir Sebastião Reis. A decisão foi unânime na Corte a favor do advogado William Guimarães.

Agencia Estado,

20 Dezembro 2006 | 22h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.