TRE mantém multa a Aécio por propaganda antecipada

Plenário seguiu voto do desembargador Brandão Teixeira, que atendeu pedido ajuizado pelo PMDB

Eduardo Kattah, da Agência Estado / BELO HORIZONTE,

21 Julho 2010 | 16h12

BELO HORIZONTE - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu por unanimidade manter a multa de R$ 5 mil aplicada ao ex-governador de Minas e candidato ao Senado, Aécio Neves (PSDB), por propaganda eleitoral antecipada. Em julgamento nesta terça-feira, 20), o plenário do TRE seguiu o voto do desembargador Brandão Teixeira, que havia atendido parcialmente a um pedido ajuizado pelo PMDB.

 

A representação do PMDB contestou matéria veiculada no blog do ex-governador, alegando violação à Lei Eleitoral, por conter declarações que caracterizariam propaganda para Aécio e os candidatos por ele apoiados, entre eles o presidenciável tucano José Serra. O desembargador já havia deferido liminar determinando a retirada dos vídeos intitulados "Aécio Neves declara apoio a José Serra" e "Aécio confirma pré-candidatura ao Senado Federal".

 

A assessoria da coligação "Somos Minas Gerais" informou que os advogados entrarão com recurso pedindo a nulidade da decisão, com o argumento de que a legislação autoriza a concessão de entrevistas de candidatos expressando sua posição política.

 

Dilma e Serra

 

Ao participar nesta quarta-feira, 21, de um encontro com taxistas, ao lado do governador Antonio Anastasia (PSDB) - candidato à reeleição -, Aécio reafirmou a determinação de trabalhar pela vitória de Serra em Minas e disse que a candidatura de Dilma Rousseff (PT) reflete, sobretudo, a popularidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e "a obra do seu governo".

 

"A ministra Dilma é reflexo de um líder, ainda não é um líder", afirmou, lembrando uma declaração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. "Eu concordo, isso não é demérito nenhum, isso não é ofensa nenhuma. É a constatação da realidade."

 

Para o ex-governador, a constatação é legítima. "Serra, ao contrário, é sim um político experimentado, passando por vários cargos, tendo sido eleito, tendo sido derrotado. Apenas foi essa comparação, que não deve ser vista pelos nossos adversários como uma ofensa", ressaltou.

 

Em relação à sucessão estadual, Aécio voltou na segunda-feira a afirmar que confia na vitória de Anastasia no primeiro turno e alfinetou a candidatura do peemedebista Hélio Costa, que lidera as pesquisas de intenção de voto. Segundo ele, no momento em que os dois candidatos tiverem o mesmo nível de conhecimento entre o eleitorado, "a tendência de Anastasia ganhar é muito grande."

 

Fazendo referência à imposição do nome de Costa pelas cúpulas nacionais do PMDB e PT, Aécio disse que, ao contrário, a candidatura do governador tucano foi uma "construção natural das lideranças políticas e sociais de Minas". "Ela não foi imposta a nenhum segmento, a nenhum partido político, ela não foi construída com base em intervenções".

 

"Mentirosas"

 

No último dia 16, o TRE negou o pedido de direito de resposta feito pela coligação PMDB/PT/PC do B a uma nota divulgada no site do PSDB. O texto publicado pelo partido rebatia as afirmações de Costa sobre a política salarial dos professores em Minas, chamando-as de "mentirosas".

Mais conteúdo sobre:
eleiçãomultaTREAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.