TRE-ES cassa registro do deputado Gratz

A reeleição do presidente da Assembléia Legislativa, deputado José Carlos Gratz (PFL), ficou inválida diante da cassação do registro da candidatura do parlamentar pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Espírito Santo. A decisão foi tomada nesta quarta-feira pelo juiz auxiliar Elpídio José Duque, atendendo a pedido do Ministério Público Eleitoral. O procurador Alexandre Spinosa Bravo Barbosa e o procurador- chefe da República no Estado, Henrique Herkenhoff, ofereceram cinco denúncias contra Gratz por abuso de poder econômico e aliciamento para a obtenção de votos.No processo em que Gratz teve sua cassação deferida pelo juiz, ele é acusado de executar e inaugurar obras no município de Vila Velha, usurpando, segundo a denúncia, um poder atribuído ao executivo. Gratz evitou comentar o assunto e disse que só falará quando for notificado oficialmente sobre a decisão. Ele foi reeleito com 21 mil votos e é presidente da Assembléia há 12 anos.Gratz é apontado pelo Ministério Público Federal como um dos líderes do crime organizado no Estado. Ele foi citado pela Comissão Palarlamnetar de Inaquérito (CPI) do Narcotráfico e responde a processos por lavagem de dinheiro, contrabando e homicídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.