TRE decide amanhã se Napoleão assume

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decide, nesta segunda-feira, se vai diplomar o senador Hugo Napoleão (PFL) como governador do Piauí ou se convocará novas eleições, como quer o ex-governador Francisco Moraes, o Mão Santa (PMDB), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob acusação de uso de programas sociais do governo para eleger-se. A decisão pode pôr fim a um impasse institucional que já dura duas semanas.Neste domingo, a comissão de três juízes encarregados de recontar os votos do segundo turno da eleição publicou o relatório em que confirma a anulação dos votos dados ao ex-governador e considera válidos apenas os votos do segundo colocado na disputa, o senador Hugo Napoleão.Como os advogados de Mão Santa ingressaram com um mandado de segurança para impedir a diplomação e posse de Napoleão, os juízes acharam melhor deixar que o plenário do tribunal homologue o relatório da nova totalização dos votos.Não houve reclamação contra o relatório, mas há um recurso do PFL que pede a imediata diplomação de Napoleão, e dois recursos do PMDB para convocação de eleições diretas para governador dentro de três meses.No mandado de segurança, o ex-governador pede que o segundo turno da eleição seja invalidado porque, na recontagem, a soma dos votos nulos foi de 52% do total de eleitores que votaram. Os votos válidos atribuídos a Hugo Napoleão somaram 46%."Neste caso, pedimos que seja declarada a vacância do cargo e a convocação de novas eleições", diz o advogado-geral do Estado, William Guimarães. O advogado de Napoleão, Torquato Jardim, afirma que, se o TRE decidir pela diplomação, seu cliente tomará posse imediatamente na Assembléia Legislativa.Qualquer que seja a decisão do TRE, as partes em conflito podem recorrer ao TSE. O advogado Torquato Jardim entende que o recurso à instância superior não terá efeito suspensivo, o que favoreceria Napoleão, se o TRE se decidisse pela diplomação.A reunião desta segunda-feira de manhã, no TRE, em Teresina, não servirá de palco apenas para uma batalha jurídica entre, pelo menos, dez advogados.São esperadas manifestações de aliados de Mão Santa e Napoleão, que neste domingo já trocaram xingamentos na praça em frente ao tribunal. A PM deve reforçar o policiamento para evitar briga entre as torcidas dos dois políticos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.