TRE de MG indefere mais cinco candidaturas com base na Lei da Ficha Limpa

Entre os candidatos barrados está Silas Brasileiro (PMDB), que foi secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Eduardo Kattah

28 Julho 2010 | 19h20

Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) indeferiu o registro de mais cinco candidaturas a deputado com base na Lei da Ficha Limpa.

 

Na sessão desta quarta-feira, 28, o plenário do tribunal indeferiu, por unanimidade (cinco votos a zero), os registros dos candidatos a deputado estadual Wellington Magalhães e Maria Lúcia Soares de Mendonça (DEM), além do candidato a deputado federal Carlos Alberto Pereira (PDT).

 

Em todos esses casos, o TRE acolheu as impugnações apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).

 

Entre os que tiveram candidatura barrada pelo TRE está também o deputado federal Silas Brasileiro (PMDB), que foi secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O juiz Benjamin Rabello indeferiu na terça-feira o registro com base em notícia de inelegibilidade feita por um cidadão à Justiça Eleitoral.

 

Ainda na terça-feira, o plenário do tribunal indeferiu o pedido registro de Antônio Carlos Bouzada, candidato a deputado estadual pelo PC do B. A inelegibilidade foi causada pelo fato de Bouzada estar com os direitos políticos suspensos. Os candidatos atingidos pela Ficha Limpa poderão recorrer.

Mais conteúdo sobre:
Ficha LImpa MG TRE impugnação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.