TRE cassa mandato de Cassol e marca novas eleições em RO

Estado terá nova votação no dia 14 de dezembro; senador Expedito Gonçalves também foi cassado

Da Redação,

05 de novembro de 2008 | 00h00

Após mais de quatro horas de julgamento, a Corte Eleitoral de Rondônia cassou nesta terça-feira, 4, o mandato do governador de Rondônia, Ivo Cassol (sem partido). Ele foi acusado de abuso de poder e compra de votos durante as eleições de 2006. O tribunal decidiu ainda cancelar a eleição em que Cassol foi reeleito e marcou para o dia 14 de dezembro nova eleição para o Estado. Pelo mesmo motivo, foi cassado também o mandato do cargo do senador Expedito Gonçalves Ferreira Júnior (PR-RO). Esta é a terceira cassação do parlamentar. As investigações mostraram que Expedito Gonçalves fazia parte de um esquema de contratação de funcionários de uma empresa, pouco antes das eleições de 2006. O objetivo é que eles trabalhassem como cabos eleitorais, o que caracterizaria a compra de votos. A Justiça Eleitoral defendeu que ambos "fizeram campanhas juntos, foram fotografados juntos e o material de campanha era comum. Tinham ‘formiguinhas’ comuns. Tinham os mesmos doadores de recursos. Fizeram doações um para o outro em seus comitês financeiros". Também foi cassado o diploma de 1ª suplente de Deputada Federal de Valdelise Martins dos Santos Ferreira. Para Expedito Gonçalves foi declarada a sua inelegibilidade pelos próximos três anos subseqüentes à eleição de 2006 em razão do abuso do poder político.

Tudo o que sabemos sobre:
RondôniaIvo Cassoleleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.