Andre Dusek/AE
Andre Dusek/AE

Tratamento de Dilma não muda estratégia do PT, diz Tarso

'Ministra está muito tranquila e permanece sendo, sem sombra de dúvida, nossa candidata', diz o ministro

Vannildo Mendes, de O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 13h19

Nome alternativo do PT caso a candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República se torne inviável, o ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta quinta-feira, 21, que o tratamento de câncer da ministra da Casa Civil não muda a estratégia do partido no quadro sucessório. "A ministra está muito tranquila e permanece sendo, sem sombra de dúvida, nossa candidata à Presidência da República", afirmou.

 

Veja Também:

link 'Quanto mais trabalhar, melhor', recomenda Lula a Dilma

 

Segundo Tarso, a ministra responde bem ao tratamento e ainda falta muito tempo para as eleições. "A informação que tenho é de que a ministra Dilma está fazendo quimioterapia, um tratamento importante, e que está respondendo bem", observou. Ele também descartou a possibilidade de um terceiro mandato para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

"A recomendação do presidente é de que não tem terceiro mandato". A seu ver, a democracia brasileira "não é plebiscitária", mas sim "estabilizada e com instituições sólidas". A mudança na norma constitucional para o terceiro mandato, no entender de Tarso, "seria uma ruptura neste processo de normalidade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.