Transplantada de intestino morre de enfarte

A publicitária Maria Luciana Pereira, de 34 anos, morreu hoje, às 15 horas, vítima de enfarto. Ela foi transplantada de intestino delgado, na quarta-feira da semana passada, no Hospital de Base (HB), de São José do Rio Preto. A cirurgia é a quarta realizada no País e a primeira com autorização do Ministério da Saúde. A paciente estava internada há dois meses no HB. No período, ela realizou exames pré-operatórios enquanto aguardava por umdoador compatível. De acordo com o médico-cirurgião, chefe da unidade de fígado e delgado do hospital, Renato Silva, MariaLuciana tinha uma doença grave que provocava tromboses. A cirurgia durou mais de 27 horas, das quais oito só para implantar o novo intestino. Segundo Silva, a publicitária recuperava-se bem."Investimos muito. Foi uma cirurgia tranqüila. Lamentamos que o primeiro caso tenha resultado em morte, mas sabíamos que opós-operatório é complicado. Por isso, esse tipo de transplante demorou tanto para ser autorizado", diz. No sábado, a publicitária ainda em recuperação estava otimista. Fazia planos para quando pudesse voltar a sua vida normal. O prazo para sua recuperação total era de três meses. O transplante da publicitária foi o quarto realizado no Brasil. Os dois primeiros ocorreram ainda na década de 60, em caráter experimental, sem sucesso. O último havia sido em 2000, na Santa Casa de São Paulo, única além do HB habilitada para realizar esse tipo de procedimento cirúrgico no País. O transplantado viveu apenas 100 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.