Daniel Apuy/EFE
Daniel Apuy/EFE

Transmissão de jogo da seleção coloca TV Brasil em quarto lugar na média nacional em horário nobre

Segundo a emissora, partida pelas eliminatórias da Copa do Mundo rendeu o melhor resultado da história da TV Brasil

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2020 | 17h38

A transmissão do jogo entre Brasil e Peru pelas eliminatórias da Copa do Mundo rendeu 3,5 pontos de audiência à TV Brasil na Grande São Paulo. Cada ponto equivale a 74 mil domicílios ou 203 mil pessoas. A média da emissora no horário costuma ser próxima do zero.

Depois de receber autorização da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para transmitir a partida, a TV Brasil aproveitou a transmissão para mandar "abraços" ao presidente Jair Bolsonaro e um agradecimento do secretário-executivo do Ministério das Comunicações, Fabio Wajngarten, à entidade. Nas redes sociais, a oposição classificou a iniciativa como uso político da TV pública. 

Segundo a emissora, foi o melhor resultado da história da TV Brasil, que ficou em quarto lugar na média nacional em pleno horário nobre.

O Planalto comemorou o resultado – da transmissão e do jogo, que terminou em 4 a 2 para o Brasil. Além da audiência considerada boa em São Paulo, a TV Brasil ficou em terceiro ou segundo lugar em várias capitais como Brasília, onde alcançou 8,5 pontos (no Distrito Federal cada ponto equivale a 9,4 mil aparelhos ou 26 mil pessoas).

Depois de receber um pedido pessoal de Wajngarten, a CBF autorizou a transmissão às 19h50. O jogo começou às 21h. Não houve tempo para divulgação.

No intervalo, a TV Brasil transmitiu um boletim de notícias do governo divulgando a sanção de Bolsonaro ao projeto que altera o Código Nacional de Trânsito e a audiência pública na qual o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falou sobre as ações de combate a incêndios na Amazônia e no Pantanal.

No segundo tempo, o narrador leu uma nota de agradecimento à CBF em nome de Wajngarten e mandou "um abraço especial para o presidente Jair Bolsonaro".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.