Trânsito e saúde tiram pontos da gestão Kassab

A avaliação global da gestão do prefeito Gilberto Kassab, também feita pelo Instituto Datafolha, sofreu em 50 dias uma queda de 6 pontos: os 39% que a 15 de maio a consideravam "boa" ou "ótima" reduziram-se, na nova pesquisa, a 33%. Outra das tabelas revela uma queda expressiva do prefeito, de 10 pontos, entre eleitores com renda familiar abaixo dos dois salários mínimos. Esse número pode estar relacionado com outro, sobre transporte coletivo. Neste item, 49% dos consultados disseram que o serviço é "ruim" ou "péssimo" - contra 22% que o consideraram "bom". Some-se a isso a avaliação sobre o trânsito, que ficou em último lugar entre os dez serviços avaliados. A soma de "ruim" e "péssimo", nessa tabela, chega a 77%, contra apenas 6% de "ótimo" e "bom". Por outro lado, ainda não se traduziu em apoio eleitoral o empenho do prefeito em aumentar a rede de assistência à saúde, com a inauguração de novas unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMA). Disseram que a assistência à saúde é "ruim" ou "péssima" 53% dos consultados - número que sobe a 58% no Centro da Capital. Na zona Sul, onde a saúde é mais bem cotada, a administração municipal consegue 49% de opiniões favoráveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.