Transgênicos vieram para ficar, avisa especialista

Goste ou não goste, os transgênicos chegaram para ficar. O principal dilema que precisa ser resolvido, portanto, não é o de liberar ou proibir a tecnologia, mas como tornar o seu uso o mais benéfico possível.É o que defende Peter Kareiva, ecólogo da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara e pesquisador principal da organização não-governamental The Nature Conservancy, que está no País para participar do 6.º Congresso de Ecologia do Brasil, em Fortaleza.Kareiva avalia os transgênicos como uma tecnologia em experimentação. "Está claro que eles não são totalmente seguros, nem inerentemente perigosos", disse o ecólogo, em entrevista por telefone ao Estado. O que falta, segundo ele, são dados científicos suficientes sobre seus riscos e benefícios."Temos especialistas de ambos os lados emitindo opiniões com base no que acreditam, e não necessariamente em resultados científicos."Pelos dados disponíveis, Kareiva acredita que os transgênicos poderão trazer benefícios para a agricultura, principalmente pela redução do uso de agrotóxicos. Mas isso ainda precisa ser comprovado a longo prazo.Nesse momento, disse o ideal é monitorar cuidadosamente os plantios e investir em pesquisas alternativas, com transgênicos e outras formas de agricultura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.