Transgênicos são proibidos em escolas públicas do Rio

Escolas públicas do Estado do Rio de Janeiro estão proibidas de usar alimentos geneticamente modificados, os transgênicos, na merenda dos estudantes. A lei, do deputado Paulo Melo (PMDB), foi sancionada no último dia 2 pela governadora Benedita da Silva (PT). A governadora também vetou o cultivo e comercialização de transgênicos no Estado.Para o deputado, não houve discussão suficiente em torno da modificação genética em alimentos no Brasil. ?A gente não tem um controle de qualidade, de risco. Não podemos permitir que as crianças sejam expostas a algo que desconhecemos e que pode prejudicá-las?, afirmou.Para ele, a Secretaria de Educação deve informar, já no edital de licitação, que produtos transgênicos não serão adquiridos pelo Estado. ?A lei sanitária obriga que o rótulo indique se o alimento foi modificado ou não. Mas é apenas uma sugestão. Cabe ao executivo regulamentar a lei?, disse.A agrônoma Flávia Londres, assessora técnica da organização não-governamental AS-PTA ? especializada em projetos em agricultura alternativa ?, lembra que a produção de transgênicos é proibida em todo o País. ?O que a gente sabe é que em alguns produtos industrializados comercializados no Brasil foram detectados ingredientes que foram modificados geneticamente, como soja e milho?, disse.Para a especialista, a regulamentação da lei deve prever a análise dos produtos adquiridos pelas escolas. ?Não se usa milho e soja in natura na merenda, mas esses alimentos aparecem em produtos como salsicha, biscoito de chocolate, fubá?, afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.