Trad pede cassação de Brant no Conselho de Ética

Parecer do deputado Nelson Trad (PMDB-MS) apresentado no Conselho de Ética da Câmara, pede a cassação do mandato do deputado Roberto Brant (PFL-MG), pelo recebimento de R$ 102,8 mil do caixa 2 montado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. No relatório, Trad ressalta que o deputado do PFL não tem qualquer ligação com o mensalão, mas que foi "negligente" ao ignorar a Lei Eleitoral e a Lei dos Partidos. Brant usou o dinheiro para pagar um programa de televisão do PFL e se defende com o argumento de que o dinheiro não precisava ser declarado à Justiça Eleitoral, porque o programa foi veiculado antes da campanha oficial. Brant foi candidato a prefeito de Belo Horizonte, pelo PFL, em 2004, e disse que os R$ 102,8 mil foram uma doação da empresa Usiminas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.