Trabalhadores rurais protestam contra mudança na Previdência

Trabalhadores rurais ligados à Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) acamparam hoje nas calçadas dos prédios da Previdência nas cidades de Caruaru e Garanhuns, no agreste, e Petrolina, no sertão. Eles pretendem ficar acampados até quinta-feira, em razão do protesto nacional coordenado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) contra a instrução normativa AIN-57, que eles consideram desfavorável ao trabalhador. De acordo com a Fetape, um total de 3 mil pessoas participam do movimento no Estado. Para o diretor de política agrária da entidade, João Santos, o governo "rasgou a Constituição" ao aprovar normas prejudiciais aos trabalhadores. A AIN-57 determina que o sindicato patronal (e não o da categoria) pode dar declaração para o trabalhador requerer direitos previdenciários - aposentadoria, salário-maternidade, salário-doença. A norma também impede os presidentes de associações e cooperativas rurais de terem acesso aos benefícios, assim como os trabalhadores que arrendarem terra. "É um total absurdo, feito para atender aos caprichos do Fundo Monetário Internacional (FMI)", disse Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.