Trabalhadores escravizados são resgatados no MA

Um grupo de 49 homens adultos e 17 adolescentes, entre 13 e 17 anos, foram resgatados hoje de uma fazenda no povoado de São Miguel, a 280 quilômetros de São Luís, onde trabalhavam na colheita da folha de carnaúba em regime de semi-escravidão.Os trabalhadores rurais haviam sido contratados por um empresário piauiense no município de Araioses, interior do Maranhão. Mas nunca chegaram a receber salário pelos trabalhos executados e ainda deviam dinheiro ao patrão pelo pagamento da comida fornecida na fazenda e da hospedagem. A alimentação segundo contam era apenas à base de garapa de cana e arroz.A fazenda de escravidão foi descoberta depois que dois adolescentes conseguiram fugir e denunciar a exploração do trabalho. Segundo o delegado de São Vicente de Férrer, João Diniz, responsável pelo resgate dos lavradores, as condições de vida dos lavradores eram subumanas e quase todos apresentavam sinais de espancamento.Domingos Limas Veras, 38, e Ivanildo Mendes dos Santos, 22, e Edvaldo, 46, conhecido como "doutor Leiteiro", que estavam na fazenda, foram presos. Eles devem ser indiciados por lesão corporal, redução de pessoas a situação análoga à escravidão e formação de quadrilha. Um quarto homem, o empresário piauiense, Edivaldo Macedo, chega nesta sexta-feira a São Vicente de Férrer para explicar a contratação dos lavradores.Os 66 homens e adolescentes libertados foram alojados em um clube da cidade, onde receberam comida e roupas doadas pela população e aguardam a chegada de representantes do Conselho Tutelar de Araioses e do Ministério do Trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.