Trabalhadora rural é assassinada em Rondônia

Segundo a Comissão Pastoral da Terra, crime ocorreu em região de disputa entre extrativistas e madeireiros

Agência Estado

05 de abril de 2012 | 16h02

A morte da trabalhadora rural Dinhana Nink, de 27 anos, é investigada pela Polícia Civil de Rondônia. Dinhana foi morta a tiros dentro do seu apartamento, na madrugada do último sábado, 31, em Nova Califórnia. O crime foi divulgado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Em nota, a CPT informou que a trabalhadora vinha sofrendo ameaças e recentemente teve a casa no acampamento Ramal Mendes Júnior incendiada. A cidade onde ocorreu o assassinato, diz a nota, fica na Ponta do Abunã, por onde entram made iras extraídas e griladas ilegalmente em Amazonas.

A polícia não descarta que a morte tenha ligação com o conflito entre extrativistas e madeireiros. Ainda não há informações sobre a autoria dos disparos.

Conflito agrário. No ano passado, o governo federal anunciou medidas de proteção em áreas de conflito agrário no Norte do País após a morte de quatro líderes rurais. O caso de maior repercussão foi o assassinato do casal extrativista Maria do Espírito Santo e José Cláudio Ribeiro da Silva, mortos no sudeste do Pará.

Em maio do ano passsado, o governo afirmou que um grupo interministerial iria acompanhar as investigações e definir a atuação de cada órgão do governo no combate à criminalidade no campo.

Tudo o que sabemos sobre:
PAUTAPOLÍTICAconflito agrário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.