Tourinho diz que governo sempre soube da crise

O procurador da República Alexandre Camanho disse que, no depoimento prestado na última quinta-feira, em Salvador (BA), no inquérito civil público que investiga a causa da crise de energia, o ex-ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, afirmou que o governo já vinha sendo alertado, durante sua gestão, da iminência da crise energética. Segundo o procurador, o ex-ministro entregou uma série de documentos que provam que, durante todo o tempo em que Tourinho esteve no Ministério, o governo era informado sobre o risco de desabastecimento de energia. "Nada do que estamos vendo era surpresa para ele (Tourinho) e para o governo", afirmou Camanho. Segundo ele, o ex-ministro disse que o Programa Prioritário de Termoeletricidade (PPT) foi lançado com o objetivo de evitar a crise energética, tida como inimente. Tourinho teria dito também aos procuradores que em reunião, em meados do ano passado, com a presença do presidente Fernando Henrique Cardoso e dos ministros da Fazenda, Pedro Malan, e da Casa Civil, Pedro Parente, e do presidente do BNDES, Francisco Gros, ele teria feito uma exposição detalhada do histórico da crise e alertado sobre a dificuldade de adoção do PPT, por causa do risco cambial. O relato do procurador sobre o depoimento de Tourinho foi feito pouco antes do início do depoimento de hoje, em Brasília, do diretor-geral da Aneel, José Mário Abdo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.