Tortura Nunca Mais critica não-intervenção no ES

O grupo Tortura Nunca Mais, do Rio de Janeiro, divulgou neste domingo nota de repúdio à decisão do presidente Fernando Henrique Cardoso e do procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, de arquivar o pedido de intervenção federal no Estado do Espírito Santo, que havia sido encaminhado pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) do Ministério da Justiça.Na nota, o grupo Tortura Nunca Mais/RJ se declara ?profundamente preocupado? e lembra que a solicitação havia sido aprovada pela unanimidade do CDDPH. ?Se desde 1994 acumula-se no CDDPH farta documentação sobre o Espírito Santo a respeito do narcotráfico, do crime organizado, dos grupos de extermínio, das ameaças aos defensores de direitos humanos, da impunidade como regra e da incapacidade ou, mesmo, omissão e envolvimento das autoridades estaduais, por que o governo federal ficou, todo este tempo, inerte??, pergunta o grupo.O Tortura Nunca Mais lamenta que a situação no Espírito Santo tenha chegado ao ponto de tornar necessária uma intervenção federal e questiona se a reviravolta ocorrida com a intervenção federal no Espírito Santo teria algo a ver com as próximas eleições. ?Como bem afirmou o ex-Ministro da Justiça Dr. Miguel Reale Júnior, interesses político-partidários não podem se sobrepor aos direitos humanos, pois ?o que está em jogo são vidas humanas?. A atitude do ex-ministro de denunciar tal jogo de interesses e não calar, como muitos, é digna de elogio e tem o nosso respeito?, diz a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.