ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Torquato Jardim é nomeado ministro da Transparência

Posse deve acontecer às 11h, em solenidade no Planalto; ex-ministro do TSE, Jardim tem experiência Direito Eleitoral

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2016 | 08h26

BRASÍLIA - O Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, 2, traz a nomeação do jurista Torquato Lorena Jardim para o cargo de ministro da Transparência, Fiscalização e Controle. Ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Jardim substitui Fabiano Silveira, que deixou o cargo na última segunda-feira, 30, depois da divulgação de conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado fazendo referências à Operação Lava Jato. Jardim será empossado nesta manhã pelo presidente em exercício, Michel Temer, em solenidade no Palácio do Planalto marcada para as 11 horas.

Leniência. Em entrevista ao Estado na quarta-feira, 1º, Jardim defendeu a criação de regras para acordos de leniência com empresas envolvidas em corrupção. “Leniência vai ser uma prioridade, porque, se a prioridade é retomar o crescimento econômico, gerar emprego e investimento, temos que ter um quadro legal que reabsorva legalmente as empresas com mercado de trabalho de negócio com o governo”, disse.

Segundo ele, ainda não está definido como serão enviadas ao Congresso sugestões para alterar as atuais regras. “Não me falaram se vai ser projeto de lei ou medida provisória.”

Ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Jardim tem experiência na área do Direito Eleitoral. Em 2013, atuou como advogado no processo para registrar a Rede, partido da ex-ministra Marina Silva. Como advogado, representou o PP em São Paulo e integrantes do antigo PFL, como Jorge Bornhausen. Jardim teve aval do PMDB do Senado - e do presidente da Casa, Renan Calheiros.  / COLABOROU ERICH DECAT

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.