Tombini serve água para Meirelles e é aplaudido

O agora ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, sofreu nesta tarde do mesmo mal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) horas depois de deixar o Palácio do Planalto: a falta de água. Durante discurso de despedida da instituição, Meirelles teve sede e procurou água no púlpito montado no auditório principal do BC. Mas não havia nenhum copo. Então, o ex-presidente do BC interrompeu o discurso e, com um sinal com a mão, pediu água ao pessoal da organização. Um funcionário do BC correu para a parte de trás do palco para pegar um copo para Meirelles.

FERNANDO NAKAGAWA, FABIO GRANER E ADRIANA FERNANDES, Agência Estado

03 de janeiro de 2011 | 17h53

Diante da cena, o novo presidente da instituição, Alexandre Tombini - que tinha dois copos d''água em sua frente - pegou um deles, levantou e caminhou até o púlpito para entregá-lo ao seu ex-chefe. O gesto foi acompanhado por aplausos da plateia lotada, composta por diretores e servidores do BC, banqueiros e convidados. "Vocês notaram que o senso de equipe funciona", brincou Meirelles, um pouco envergonhado.

Na noite de sábado, horas depois de deixar a presidência da República, Lula enfrentou a mesma situação enquanto discursava em São Bernardo do Campo. Como também não havia um copo d''água ao alcance da mão, Lula teve de pedir aos organizadores. "Quando eu era presidente, não costumava pedir água, porque tinha sempre um copinho aqui do lado", brincou o ex-presidente, arrancando gargalhadas da plateia.

Tudo o que sabemos sobre:
TombiniMeirellesposseágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.