Tóffoli diz que houve falha na prisão de petistas

O ministro do Supremo Tribunal Federal José Dias Tóffoli disse nesta quinta-feira, 28, que houve uma falha na execução dos mandados de prisão que resultaram na prisão, por três dias, em regime fechado, dos petistas José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares . Eles foram condenados ao regime semiaberto.

AE, Agência Estado

28 de novembro de 2013 | 20h25

"(Isso) Deveria ter sido evitado. Parece que houve problema de comunicação nessa mudança que houve entre o anterior juiz da execução e o novo. Parece que o gabinete do ministro Joaquim Barbosa, presidente, dialogava com o substituto e não com o titular e houve aí, digamos, um problema. Não tenho detalhes desse problema, mas realmente aqueles que estão condenados ao semiaberto, ao se expedir a guia de execução, deveria ir de imediato para o regime semiaberto", disse, em entrevista ao blog do jornalista Kennedy Alencar. Questionado se houve alguma falha no processo, ele confirmou: "Houve alguma falha aí".

O ministro, que foi advogado do PT quando Dirceu era presidente do partido e advogado-geral da União durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula também declarou que o governo da presidente Dilma Rousseff dialoga pouco com a os outros poderes. "Do ponto de vista institucional, diria que este é um governo que dialoga pouco com os demais poderes. Não só com o Judiciário. Se escuta reclamação de falta de diálogo com o Congresso Nacional. O diálogo entre os poderes faz parte de um comando da própria Constituição, que é a harmonia entre os poderes."

Tudo o que sabemos sobre:
MensalãoTóffoli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.