Todos os países têm vulnerabilidade, diz general Elito

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general José Elito, disse nesta segunda-feira, 9, que "todos os países do mundo têm vulnerabilidade" em relação ao sistema de segurança das suas comunicações. "Até mesmo os Estados Unidos", ressaltou, acrescentando que a prova disso foi o atentado de 11 de setembro de 2001.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 21h57

Para o general, que é responsável pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), é claro que alguns países são mais vulneráveis e outros, menos. Ele defendeu um aumento da base da "segurança orgânica", com maior proteção em cada tipo de equipamento.

O general José Elito lembrou que para reduzir a vulnerabilidade é preciso "aumentar a base da segurança, que é a segurança orgânica". Ele lembrou ainda que a base da criptografia usada no Brasil não é só nacional, justificando que isso deixa o sistema mais vulnerável.

O general afirmou que várias autoridades, entre elas a presidente Dilma Rousseff, usam telefones fixos e celulares criptografados e, sempre que possível, são feitas atualizações do sistema.

Mais conteúdo sobre:
espionagemJosé Elito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.