TJ-SP suspende indiciamento de ex-primeira dama

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo concedeu liminar que suspende o indiciamento e determina a devolução dos passaportes da ex-primeira-dama de Campinas Rosely Nassim Jorge Santos e do ex-coordenador de Comunicação da prefeitura Francisco de Lagos pelo envolvimento no suposto esquema de fraudes e desvio de recursos na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento de Campinas (Sanasa).

RICARDO BRANDT, Agência Estado

17 de abril de 2012 | 19h54

Na prática, a decisão liminar (que ainda terá o mérito julgado) limpa o nome dos dois da ficha de indiciados da Polícia Civil, além de permitir que eles deixem o País, com a retomada dos passaportes. A liminar, porém, não muda a situação de réus no processo que corre na Justiça desde o final do mês passado.

Rosely e Lagos fazem parte da lista de 22 acusados pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, e que viraram réus no processo, por formação de quadrilha, corrupção e desvio de recursos na empresa de água da cidade.

Ao todo, 19 pessoas já respondem a processo pelo suposto esquema de fraudes em contratos e licitações durante o governo do ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), cassado pela Câmara de Vereadores em agosto do ano passado.

A ex-primeira dama é acusada pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de ser a suposta líder da quadrilha. Ela responde por formação de quadrilha, fraude em licitações e corrupção. Lagos responde por formação de quadrilha. Dos 22 denunciados, três ainda terão a denúncia analisada pelo juiz da 3ª Vara Criminal de Campinas, Nelson Augusto Bernardes.

Tudo o que sabemos sobre:
CampinasTJ-SPprimeira-damapassaporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.