TJ-SP mantém quebra de sigilo bancário de Maluf

O desembargador Soares Lima, do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo, manteve a decisão do juiz da 4.ª Vara da Fazenda Pública, Luiz Paulo Aliende Ribeiro, que, no dia 19, decretou a quebra do sigilo bancário do pré-candidato a governador Paulo Maluf (PPB), do filho dele Flávio Maluf e de 20 outras pessoas físicas e jurídicas, entre elas, três empreiteiras. Lima negou liminar pedida por Maluf.A quebra do segredo foi decretada numa ação cautelar de exibição de documentos proposta pelo Ministério Público (MP) por causa da suspeita de superfaturamento nas obras da Avenida Águas Espraiadas, na zona sul da capital paulista.Esta foi a segunda derrota sofrida por ele no TJ, em menos de 24 horas. Ontem, a 5.ª Câmara de Direito Público, por unanimidade, manteve o seqüestro de fundos bancários que existiriam no paraíso fiscal das Ilhas Jersey. O MP presume que o dinheiro enviado ao exterior seja produto de ato de improbidade administrativa. Maluf nega, sistematicamente, a existência de depósitos bancários fora do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.