TJ-RO aceita denúncia contra suspeitos de cobrar propina

O Tribunal de Justiça de Rondônia aceitou na segunda-feira denúncia do Ministério Público do Estado contra o deputado estadual Kaká Mendonça (PTB) e outros oito ex-parlamentares do Estado, acusados de cobrar propina do governador Ivo Cassol (PPS) em troca de apoio, em 2005 - à época, o programa Fantástico, da Rede Globo, divulgou gravação do flagrante. O presidente do TJ-RO, desembargador Péricles Moreira Chagas, afirmou ontem que, agora, os oito ex-deputados - Carlão de Oliveira (PSL), Haroldo Santos (PR), Amarildo de Almeida (PDT), Ronilton Capixaba (PL), Hellen Ruth (PR), Emílio Paulista (sem partido), João da Muleta (PMDB) e Daniel Nery (PMDB) - serão interrogados e terão direito à defesa prévia. A abertura do processo contra Mendonça dependerá de autorização da Assembléia. Também foi denunciado o ex-assessor da Assembléia Móisés de Oliveira, que, junto com os outros suspeitos, responderá por formação de quadrilha, corrupção ativa e concussão - crime envolvendo funcionário público. Só 5 dos 24 deputados da legislatura anterior foram reeleitos. Desde fevereiro, a Assembléia de Rondônia economizou R$ 15 milhões, principalmente com a redução de gastos da folha de pagamento. Dos 1.000 funcionários comissionados, ficaram na Casa cerca de 80.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.