TJ mantém juiz em ação de filho de Lula contra editora

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) negou o pedido de Fábio Luiz Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que outro magistrado fosse designado a trabalhar na ação de indenização por danos morais ajuizada por ele contra a Editora Abril.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

12 de março de 2011 | 18h02

A defesa de Fábio alegou que a juíza da 2ª Vara Cível do Foro Regional de Pinheiros, Luciana Oliveira, teria demonstrado em sua sentença - quando negou o pedido de indenização - um conceito preestabelecido em relação a uma das partes.

De acordo com o voto do relator do recurso, desembargador Barreto Fonseca, Fábio Luiz Lula da Silva não comprovou qualquer fato que justificasse o afastamento da magistrada do processo.

A decisão foi unânime. Também participaram do julgamento os desembargadores Ciro Campos, presidente da Seção de Direito Criminal do TJ-SP, e Luis Antonio Ganzerla, presidente da Seção de Direito Público do TJ-SP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.