TJ manda quebrar sigilo de funcionários

O Tribunal de Justiça ordenou a quebra do sigilo bancário e fiscal de três funcionários do gabinete da vereadora de São Paulo Claudete Alves (PT). Ela é suspeita de reter parte dos salários dos funcionários. A turma julgadora determinou sigilo na divulgação dos dados. Um dos acusadores declarou que devolvia R$ 4.130 dos R$ 4.930 que recebia. A vereadora nega ter cometido qualquer irregularidade. [DE GABINETE]A quebra do sigilo abrange o período de outubro de 2002 - 4 meses antes de Claudete tomar posse - a fevereiro de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.