TJ aceita denúncia de formação de quadrilha contra Natalino

Sobrinha do deputado, a vereadora Carminha Jerominho anunciou que o tio deve renunciar ao mandato

Pedro Dantas, de O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2008 | 19h55

Por unanimidade, os desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio acataram a denúncia de formação de quadrilha e resistência qualificada contra o deputado estadual Natalino Guimarães (DEM) e outros cinco suspeitos de integrar a milícia Liga da Justiça, que atua na zona oeste da capital fluminense. O grupo voltará para a Penitenciária Federal de Campo Grande, no Mato Grosso, onde já estava preso. Nesta segunda, um forte esquema de segurança foi usado na escolta dos milicianos que vieram ao Rio para a audiência. A polícia usou dois carros blindados e 14 homens armados para impedir a fuga dos acusados.   A sobrinha do deputado, a vereadora Carminha Jerominho (PT do B), anunciou que o tio deve renunciar ao mandato. Após a renúncia, o caso de Guimarães na Justiça teria que recomeçar e voltaria para a primeira instância. Além de Natalino, foram denunciados o ex-PM Luciano Guimarães, sobrinho do parlamentar, Júlio César Pereira da Costa, assessor de Natalino, o cabo da PM Rogério Alves de Carvalho, Fábio Pereira de Oliveira, o Fábio Gordo, e o PM Moisés Ferreira Maia, o Chopão.

Tudo o que sabemos sobre:
Natalino Guimarãesmilícias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.