Tirar pessoas da pobreza é estratégia, diz ministra

A meta do governo Dilma Rousseff de tirar 16 milhões de brasileiros da extrema pobreza não é somente uma questão de justiça social, mas também uma estratégia de crescimento econômico, disse nesta segunda a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello. A ministra representou a presidente do Brasil na cerimônia de abertura da feira Apas 2012.

SUZANA INHESTA, Agência Estado

07 de maio de 2012 | 17h47

"Nos últimos anos, foram 16 milhões de brasileiros que saíram da pobreza e mais 40 milhões que chegaram à classe média. É praticamente o tamanho da Argentina", declarou a ministra. Segundo ela, essa inclusão dos brasileiros extremamente pobres não se dará naturalmente. "O Estado brasileiro, os Estados e os municípios deverão trabalhar juntos. E também tem que haver colaboração do setor privado", destacou.

A ministra também comentou que o governo compra R$ 3 bilhões/ano da agricultura familiar, e que essas compras beneficiam mais de 300 mil famílias. "O governo continuará a comprar ainda mais, principalmente das famílias mais pobres", disse.

Tereza participa pela segunda vez de uma abertura da Apas. Na edição do ano passado, a ministra pediu a participação do setor no programa Brasil Sem Miséria. "Não queria filantropia e sim parcerias para um projeto que estava em vias de ser lançado. Neste ano, a parceria já está amplamente construída e trouxemos empreendedores rurais para participar da feira e mostrar e ampliar seus negócios", explicou. "Esse tipo de parceria aumenta o emprego e a renda para esses empreendedores, proporciona o crescimento da gama de produtos vendida pelos varejistas e aumenta a opção de itens para os consumidores", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Tereza Campellogoverno Dilmappobreza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.