Tio relata temor por sobrinho desaparecido em desabamento no Rio

Buscas por sobreviventes em destroços continuam.

Júlia Dias Carneiro, BBC

27 de janeiro de 2012 | 16h39

O Teatro Municipal, um dos cartões postais do Rio, foi coberto por nuvens de poeira na última quinta-feira, por causa dos escombros de três edifícios vizinhos que desabaram na quarta-feira à noite.

Famílias das pessoas desaparecidas se reuniram, aflitas, na Câmara dos Vereadores do Rio, onde aguardavam notícias.

Os prédios deixaram um vazio na Rua Treze de Maio. Como eram geminados, a queda do mais alto levou os outros dois abaixo. Sobrou apenas a lateral exposta.

O advogado Bruno de Taunay, que trabalhava no prédio vizinho, contou que foi obrigado a subir para o topo do seu edifício e ser resgatado por bombeiros porque destroços dos prédios desabados impediam sua saída do local.

Até o fim da tarde de quinta-feira, pelo menos quatro corpos tinham sido retirados dos escombros, e mais de vinte pessoas continuavam desaparecidas.

As buscas por corpos e sobreviventes continuam. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.