Tião Viana acaba com comissões de funcionários

Na tentativa de reduzir as despesas do Senado, o presidente interino da Casa, Tião Viana (PT-AC), baixou um ato hoje que acaba com as comissões especiais formadas por funcionários. Amanhã, a Mesa Diretora deve acabar com o salário extra pago a este funcionários, que, na maioria das vezes, tratam de assuntos de interesse restrito, sem alcance público.Há, por exemplo, comissões para tratar do controle de compras e a que coordena o credenciamento de jornalistas. Em dez meses, o Senado pagou cerca de R$ 800 mil a esses servidores. De janeiro a março, foram prorrogadas 40 comissões e criadas outras quatro.Os indicados para atuar nas comissões chegam a ganhar gratificações de que chegam a R$ 1.500,00 livres, descontados os impostos. Algumas portarias criando comissões são reeditadas ao longo dos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.