Tia de índia morta após ser agredida depõe em Brasília

Imaculada foi apontada por fonte da Funasa como provável responsável pelas agressões que levaram à morte

Agência Brasil

08 de julho de 2008 | 20h42

A tia da índia Jaiya Xavante, Maria Imaculada Xavante, depõe neste momento na 2ª Delegacia de Polícia de Brasília. Jaiya, de 16 anos, sofreu perfuração dos órgãos genitais e morreu no último dia 25, durante cirurgia no Hospital Universitário de Brasília.  Maria Imaculada foi apontada por uma fonte da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) como provável responsável pelas agressões que levaram à morte da indígena. Jayia vivia desde o dia 28 de maio, com a mãe e a tia, na Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai), mantida pela Funasa. Portadora de deficiência, Jaiya precisava de cadeira de rodas para se locomover. Um intérprete da Fundação Nacional do Índio (Funai) acompanha o depoimento de Maria Imaculada, que não fala português. Também estão presentes uma irmã de Jaiya, um defensor público e o coordenador da Área Xavante da Funai.O delegado Antônio José Romeiro, responsável pelas investigações, informou que as Polícias Civil e Federal - que instaurou inquérito paralelo - decidiram não mais divulgar informações sobre o andamento dos trabalhos até a completa elucidação do caso.

Tudo o que sabemos sobre:
índiaxavantemorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.