Thomaz Bastos pede desmembramento do processo do mensalão

Segundo o advogado, o STF não avaliou o caso 'sob o prisma constitucional'

Ricardo Brito - Agência Estado,

02 de agosto de 2012 | 14h59

Brasília, 02 - Logo no início do julgamento do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos defendeu há pouco o desmembramento da ação contra os réus que não possuem foro privilegiado. Dos 38 réus do processo, apenas três têm prerrogativa de foro: os deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP), Pedro Henry (PP-MT) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).

Thomaz Bastos disse que, assim que entrou no caso, em 31 de agosto de 2011, tentou, sem sucesso, retirar seu cliente, o ex-dirigente José Roberto Salgado, e outros 35 réus do crivo do Supremo. Segundo o advogado, o Supremo não avaliou o caso sob o prisma constitucional". "Nós estamos infringindo a lei", afirmou.

Para Bastos, a situação é "singular", uma vez que, mesmo tão próximo do julgamento do mérito, não se pode falar que o pedido é fora de hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.