Thomaz Bastos diz que policiais têm direito de fazer greve

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse hoje que não há como atender as reivindicações dos policiais federais, que ameaçam entrar em greve. "Elas (as reivindicações) são muito acima da razoabilidade e da possibilidade. A greve é um direito que tem que ser respeitado, desde que se obedeçam a todos os requisitos legais", afirmou o ministro.Bastos disse que ainda há negociações em andamento com a categoria e que uma eventual paralisação não prejudicará a investigação do caso Waldomiro Diniz. "O inquérito está correndo, está sendo feito dentro dos padrões de normalidade, com bastante cuidado e amplitude", disse.A categoria reivindica que todos os policiais federais passem a receber salários como servidores de nível superior. Atualmente só uma parte da categoria está nessa situação. A greve está prevista para a próxima semana.O ministro falou à imprensa depois de participar de audiência pública sobre questões indígenas, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.