Texto de e-mail sobre Varig foi adulterado, diz Zuanazzi

O ex-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) Milton Zuanazzi negou hoje ter escrito um e-mail endereçado à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, nos termos em que foi divulgado. No texto, Zuanazzi teria confirmado que, numa das reuniões com a direção da Anac para discutir a venda da Varig, a ministra da Casa Civil declarou que o governo não iria se submeter a decisões da Justiça no caso. Ele afirmou aos senadores da Comissão de Infra-Estrutura que o referido e-mail foi adulterado e teria sido distribuído desta forma em seu nome, inclusive a veículos da imprensa. "Brasília parece que se tornou um paraíso da arapongagem", afirmou o ex-diretor. Zuanazzi disse que, durante a sua gestão na agência, houve momentos em que a porta de sua sala foi arrombada e, em outros momentos, houve sinais de tentativa de instalação de algum equipamento de escuta. Zuanazzi informou ainda que, em relação ao e-mail no qual ele teria desabafado a Dilma sobre o tratamento ruim que estaria recebendo por parte da ministra e também citando negociações entre a Anac e a Casa Civil durante o episódio de venda da Varig, pediu à Polícia Federal (PF) investigação sobre as modificações no texto. Pressionado por senadores a explicar melhor o episódio, o ex-presidente da Anac afirmou: "Me nego a falar mais de um documento apócrifo que não escrevi".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.