Terras para reforma agrária serão conhecidas em 30 dias

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, afirmou, em entrevista no Palácio do Planalto, que o governo apresentará em 30 dias um levantamento de terras à disposição da União para assentamentos de famílias. Segundo Rossetto, poderão ser utilizadas para o processo de reforma agrária áreas devolutas ou ocupadas por pessoas ou empresas em dívida com a União. "O governo trabalha com uma expectativa positiva de diminuição dos conflitos", disse o ministro.Rossetto afirmou que o governo tentará reduzir de 10 para 6 meses o processo administrativo do Incra para a desapropriação de terras com o objetivo de acelerar o assentamento de famílias. Rossetto estima que só na área do Pontal de Paranapanema haja 100 mil hectares de terras devolutas que poderão ser utilizadas para a reforma agrária. Não reconhecemos como correto um ambiente de conflagração no campo", disse ele, referindo-se à onda de invasões. O ministro avaliou que não cabe ao governo pedir trégua a um movimento social, mas garantiu que buscará formas para evitar conflitos e para criar um ambiente pacífico de reforma agrária. Segundo Rossetto, o governo dispõe este ano de R$ 162 milhões para a reforma agrária. Deste total, já foram gastos 50%. "Vamos trabalhar com os recursos que tivermos e buscar alternativas para assentar mais famílias", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.