Termina retirada de Nafta de navio encalhado

Terminou às 16 horas de hoje, 11 dias depois do acidente com o navio Norma, da Petrobras, na Baía de Paranaguá, no litoral paranaense, a transferência dos cerca de 22 milhões de litros de nafta para o petroleiro Nara. Com a operação encerrada, acabou o risco de incêndio e explosão no navio acidentado.Técnicos da empresa holandesa Smitt Américas, responsável pelo salvamento do Norma, devem realizar reuniões hoje à noite para estudar a melhor forma de fazer o desencalhe do navio.A Defesa Civil calcula que o trabalho esteja encerrado em uma semana. Os tanques vazios do navio foram completados com água e nitrogênio, para evitar rompimento do casco e auxiliar na flutuação da embarcação.O acidente com o Norma ocorreu no dia 18, quando a colocação errada de bóias, segundo depoimento do prático Jarbas Furquim de Campos Filho e do comandante Jadir Casartelli, fez com que o navio batesse contra a Pedra Palangana, formação rochosa sinalizada nas cartas náuticas.Um dos cinco tanques da embarcação, que levavam nafta de Paranaguá para Tramandaí (RS), rompeu. Parte do combustível, altamente inflamável, derramou-se no canal que dá acesso ao cais do Porto de Paranaguá, colocando em alerta a Defesa Civil estadual. As operações no porto foram paralisadas somente no dia do acidente.Ainda não foi informado o local onde o Norma será recuperado. Provavelmente, ele será levado para o Rio de Janeiro, após um reparo provisório. Os órgãos ambientais do Paraná ainda estão fazendo exames na água do mar e em organismos marinhos para decidir sobre a liberação da pesca na região, proibida por portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.