Termina rebelião na Penitenciária Feminina de SP

Depois de 10 horas de tensão, terminou na madrugada deste domingo a rebelião em dois pavilhões da Penitenciária Feminina do Estado, localizada no interior do Complexo do Carandiru, na zona norte da capital paulista. Em protesto aos maus tratos pelos quais estariam passando, duas detentas iniciaram a rebelião. As demais, então, atearam fogo em colchões, subiram nos telhados e pegaram duas agentes pentinenciárias como reféns. A Tropa de Choque da PM entrou na penitenciária, depois da meia-noite, mas nada fez. As duas presas que lideraram o motim, que teve início às 17h deste sábado no Pavilhão 1 e que depois de espalhou para os outros 3, foram transferidas para o presídio feminino de Tremembé, no Vale do Paraíba. As reféns, segundo a PM, não sofreram ferimentos graves.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.