Termina a greve dos agentes penitenciários

Os agentes penitenciários paulistas, reunidos em assembléia no Sindicato dos Funcionários do Sistema Carcerário, em São Paulo, acabam de decidir pelo fim da greve, iniciada quinta-feira. A paralisação atingiu 22 penitenciárias, apenas duas com paralisação total - a de Araraquara e a de Guarulhos. As demais se encontravam em ?greve branca?, segundo a Secretaria da Administração Penitenciária.O fim da paralisação é tratado pelos sindicalistas como uma ?suspensão temporária? até o próximo dia 23, prazo estipulado hoje pelo secretário da Administração Penitenciária Nagashi Furukawa, para dar uma resposta às reivindicações dos grevistas.Em reunião de quase cinco horas, o secretário e a diretoria do Sindicato decidiram reduzir de 13 para 6 itens, a lista de reivindicações. O secretário se comprometeu a encaminhar a lista para o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), e apresentar uma resposta dia 23.Os agentes penitenciários pedem incorporação dos benefícios ao salário; 11 folgas adicionais por ano, não apenas 9, como é hoje; aprovação de um plano de carreira; redução do prazo de aposentadoria para 30 anos; regularização da situação dos agentes contratados temporariamente e, por fim, a não punição dos grevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.