Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Teori libera para julgamento no STF denúncia contra Cunha sobre contas na Suíça

Ele é acusado de ter contas Suíça abastecidas por dinheiro desviado da Petrobrás; caso deve ir a plenário em 23 de junho

Isadora Peron e Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2016 | 12h11

BRASÍLIA - O ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), liberou para julgamento a segunda denúncia contra o presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele é acusado de manter contas secretas na Suíça abastecidas pelo dinheiro desviado do esquema de corrupção da Petrobrás.

Segundo o Estado apurou, o mais provável é que o caso seja levado a plenário no dia 23 de junho. Também serão levados para a pauta os recursos que pedem para que a mulher de Cunha, Cláudia Cruz, e a filha Danielle Dytz sejam julgadas pelo STF, e não pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato em Curitiba.

A liberação para a pauta aconteceu na quinta-feira, 9, no mesmo dia em que Moro aceitou a denúncia contra Cláudia e a transformou em ré, já que uma das contas na Suíça está no nome dela.

A denúncia contra Cunha foi oferecida ao STF pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em março. O parlamentar é acusado da prática dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Também em março, o peemedebista se tornou réu no processo que apura se ele recebeu propina por contratos de navios-sonda da Petrobrás.

O peemedebista ainda responde a pelo menos outros quatro processos no STF, um deles sobre a sua participação no esquema de corrupção de Furnas. A defesa de Cunha tem sustentado que não há provas materiais de que o peemedebista tenha contas no exterior.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.