Tensão política continua a afetar mercados brasileiros

Bolsa apontou queda de 9,08% no início da tarde

Simone Cavalcanti, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 15h08

São Paulo - Os mercados brasileiros seguem refletindo a tensão da crise política que cresce à medida que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer e ministros do PSDB, como Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Bruno Araújo (Cidades), estão com carta de demissão pronta.

Há pouco, o dólar futuro com vencimento para junho entrou em leilão aos R$ 3,3690 (+7,07%). Na esteira da escalada da divisa dos Estados Unidos ante o real, o Banco Central anunciou novo leilão de swap cambial. É o quarto do dia. A oferta ocorrerá entre 15h e 15h10. Serão ofertados até 40.000 contratos de swap (US$ 2 bilhões). Está será a quarta operação com swaps no dia, sendo a terceira com oferta de "dinheiro novo".

A Bolsa, por sua vez, apontava queda de 9,08%, aos 61.408,47 pontos, com papéis de apenas cinco empresas em alta (Fibria, Suzano, Embraer, Klabin e Vale), às 14h28.

As negociações no mercado de renda fixa seguem paralisadas por causa da disparada do rendimento dos contratos futuros. As emissões locais e externas de títulos de renda fixa privados entram em modo de espera, por enquanto, diante da enorme volatilidade.

O acordo fechado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista prevê que os dois executivos não serão sequer denunciados criminalmente pelo Ministério Público Federal, segundo fontes próximas aos executivos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.