'Tenho o presidente Lula inteirinho ao meu lado', diz Marta

Candidata destaca 'alinhamento de ações' com governo federal e festeja resultado da nova campanha

Fausto Macedo, O Estado de S. Paulo

23 de agosto de 2008 | 14h13

A candidata Marta Suplicy, do PT, e Fernando Haddad, ministro da Educação do governo Lula, dividiram neste sábado, 23, o mesmo palanque na Plenária Regional dos Trabalhadores da Educação da região Sudeste de São Paulo e defenderam "alinhamento de ações" entre a administração municipal e a União, a partir de programas com verbas federais. "Na nossa época (seu primeiro mandato, de 2001 a 2004) não tínhamos esses recursos orçamentários", disse Marta, que enalteceu as iniciativas de Brasília.  Veja Também:Alckmin cai e Marta abre vantagem de 17 pontos , diz pesquisa Na sexta-feira, ela já havia revelado o que considera seu grande trunfo na campanha rumo à Prefeitura de São Paulo, ao anotar que tem a seu lado "o presidente Lula inteirinho". "Agora, esses programas de qualificação vão mudar a capacidade do Brasil", insistiu. Ela disse que seus "olhinhos brilharam" quando Haddad relatou o quanto o Governo Lula planeja canalizar para São Paulo em sua área de atuação. O ministro pregou "alinhamento de ações" entre as duas instâncias de governo. E disse que está "pavimentado o caminho para estreitar os laços da educação". Com o apoio do Palácio do Planalto, Marta prometeu fazer "uma revolução neste segundo mandato, um casamento (com a administração federal)". Disse que na sua primeira gestão o Brasil vivia uma recessão e apontou para o governo Fernando Henrique Cardoso, a quem atribuiu a cifra de dez milhões de desempregados. Ela também criticou muito a política adotada por seu sucessor (Gilberto Kassab) com relação aos CEUs e prometeu aperfeiçoar o uso desses centros de atendimento na periferia. Ainda sobre o apoio de Lula e seu ministério, Marta declarou: "acho sempre muito importante ter o apoio porque mostra a identificação. A pessoa quando analisa o voto ela percebe com quem há identificação. Nós temos absoluta identificação com o Governo Lula, com suas prioridades. Essa prioridade que o Lula está dando para a educação é nossa também". Marta festeja resultado da nova pesquisa"Vamos juntos, vamos à vitória que está pintando ali na esquina", bradou Marta Suplicy aos moradores de Paraisópolis, logo depois de ser informada sobre os resultados da nova pesquisa de intenção de voto que a coloca em primeiro lugar rumo a Prefeitura de São Paulo. Ela, uma vez mais, enalteceu o presidente Lula, que admite ser seu mais forte aliado no desafio que enfrenta. "Fiquei muito animada com os resultados e vamos continuar trabalhando, apresentando as propostas. A gente sente na rua que está muito forte a campanha, a militância do PT muito animada, e isso pode fazer a diferença." Marta avaliou os motivos de sua ascensão e da queda de seu oponente direto, Geraldo Alckmin, do PSDB. "Acho que a população começou a pensar na campanha, começou a comparar as propostas. Não está tão difícil porque a população sabe qual é o meu parceiro. A população tem um governo que eu já fiz. Então ela pode comparar com o governo que outros candidatos já fizeram e verificar também qual é o clima de parceira que os outros candidatos apresentam." Segundo ela, "o PT está em uma harmonia muito grande entre si também, não houve qualquer disputa de candidatura, houve um trabalho muito bom de propostas do partido todo, unificando, pensando junto o que fazer". Marta disse que sua campanha "não tem nenhum milagre, é a população que está atenta, comparando as possibilidades, os parceiros".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.