Tenho lealdade canina ao presidente Lula, afirma Dirceu

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse hoje "que tem uma lealdade canina" ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A afirmação foi feita ao comentar que "são improcedentes" as notícias de que ele não trabalhou para a aprovação do salário mínimo na Câmara dos Deputados. "Todos me conhecem e sabem que eu não procedo assim. Tenho uma lealdade canina ao presidente Lula e todo mundo sabe disso", disse, acrescentando que "há dez anos está a serviço de Lula".Dirceu ressaltou que trabalha a serviço do País. Afirmou também que trabalha com o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, todos os dias discutindo as questões de interesse do Brasil. "Tenho um acordo que vem sendo realizado com o ministro Palocci e estou também a serviço do ministro Aldo Rebelo (Coordenação Política), que me pediu para que trabalhe uma série de questões sobre a discussão do mínimo no Senado." Dirceu continuou afirmando que irá cumprir o que foi determinado por Rebelo. "Ele é o articulador político do governo e é quem determina o que os outros ministros devem fazer. E eu vou fazer com prazer, como sempre fiz."Divergências com PalocciJosé Dirceu negou que haja divergências entre ele e o ministro da Fazenda, Antonio Palocci. "Tenho dito e repetido que tem gente que gosta de viver de ilusão. Achar que vai haver divisões entre nós, particularmente entre mim e o Palocci, é não nos conhecer", afirmou ele. Dirceu salientou que quem toma as decisões sobre a política econômica do País é o ministro da Fazenda. "Ele (Palocci) é quem toma as decisões e eu apoio o que ele decide", afirmou, acrescentando não haver divergências nesse sentido.Questionado se concordava com a atual taxa básica de juros (Selic), o ministro respondeu: "Quem decide taxa de juros é o Banco Central e o Copom e quem toma decisões sobre a política econômica é o ministro Palocci", disse ele. UniãoJosé Dirceu ressaltou que o governo Lula está unido para aprovar as medidas de interesse do País e resolver os problemas do Brasil. O comentário foi feitp ao ser questionado sobre divergências entre ministros.Após negar a existência de divergências com Palocci, Dirceu afirmou que elas são resolvidas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Divergência quem resolve é o presidente Lula. Não tenho divergência na questão da economia", assegurou.Segundo Dirceu, "ministro que se desentende com ministro tem um destino e o presidente Lula resolve". Ele garantiu que não há hipótese de divergências entre ministros no governo.Questionado sobre as notícias que circulam nos jornais de hoje, de que ele e Palocci teriam divergências, o ministro da Casa Civil insistiu: "Quem quer viver de ilusões, que viva."O ministro-chefe da Casa Civil visitou na manhã desta quarta-feira, em São Paulo, O Campus Liberdade da UniFMU. No local, na década de 60, funcionou o Colégio Paulistano, onde Dirceu estudou. Após a visita ao prédio, o ministro concedeu entrevista ao programa "Código de Honra", elaborado pela instituição educacional e exibido pela TV Justiça às quintas-feiras às 18h30.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.