Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Temperatura elevada reduz número de manifestantes em Manaus para 600 pessoas

O baixo número de integrantes nos primeiros momentos fez com que os manifestantes se igualassem em número com o contingente da Polícia Militar, de 650 oficiais

BRUNO MORAES, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2015 | 17h09

Manaus - Sob um calor de 36º, aproximadamente 600 manifestantes pediam o impeachment da presidente Dilma Rousseff ou a intervenção militar. Eles se reuniram a partir das 14h, na Avenida Eduardo Ribeiro, Centro de Manaus, para iniciar passeata contra o governo. O baixo número de integrantes nos primeiros momentos fez com que os manifestantes se igualassem em número com o contingente da Polícia Militar, de 650 oficiais.

Disponibilizadas pelos organizadores do protesto, mais de dez faixas com mensagens contra o Partido dos Trabalhadores foram distribuídas. Entre os movimentos presentes na concentração da passeata, estavam intervencionistas, parlamentaristas, a Maçonaria, movimentos estudantis, entre outros.

Até as 15h22 (horário de Manaus), o movimento permaneceu concentrado no ponto de partida. A previsão era de que os manifestantes chegariam até a avenida Djalma Batista, que liga o Centro aos bairros da capital amazonense, às 16h. No facebook, 25 mil pessoas foram convidadas para o evento. Contudo, menos de 2 mil confirmaram presença até horas antes da manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:
ManifestaçõesManausDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.