Temor afasta cooperativas de candidatos ao Executivo

Por temerem represálias, cooperativas evitarão apoiar candidatos a cargos do Executivo - governador e presidente da República - na eleição 2010 e destinarão os esforços, políticos e financeiros, para eleger o máximo possível de deputados. O presidente da Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp), Edivaldo Del Grande, admitiu que "no caso do Executivo é difícil apoiar, pois a cooperativa é uma entidade frágil e pode sofrer uma restrição desnecessária" caso não dê o apoio ao vencedor. "O risco é grande", completou.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

23 de março de 2010 | 15h49

Na eleição em que cooperativas voltarão a fazer doações a candidatos, o presidente da Ocesp defende, no entanto, que o voto seja mais importante que a ajuda financeira. "Doar o voto é mais importante que doar dinheiro", disse. Del Grande prega abertamente que as 1.020 entidades associadas à Ocesp e seus 3 milhões de cooperados trabalhem para eleger o maior número possível de parlamentares defensores do setor. "Temos uma frente estadual do cooperativismo na Assembleia e uma federal, na Câmara. Mas temos também deputados que não são dessas frentes e que nos ajudam", disse.

O presidente da Ocesp evitou nominar quais os candidatos preferidos dos cooperativistas "para não correr o risco de esquecer alguém", mas lembrou, por exemplo, que São Paulo tem entre 8 e 10 deputados federais que certamente serão apoiados pelas cooperativas. "Queremos ainda que os presidentes das cooperativas conversem, definam candidatos comuns e orientem os cooperados para que escolham, bem como avisem quais não são nomes simpáticos ao setor", completou.

A Ocesp inicia amanhã, dia 24, às 17 horas, no Hotel Matsubara, em São Paulo, uma série de três palestras com o tema "O Cenário Político e o Cooperativismo", com o cientista político David Fleischer, professor emérito da Universidade de Brasília (UNB). De acordo com Del Grande, as palestras são justamente para dar ao cooperado mais informações sobre política em ano eleitoral. "O fato de o David ser norte-americano ajudará ainda a mostrar as diferenças entre os processos eleitorais dos dois países", concluiu.

Além de São Paulo, as palestras serão realizadas em Marília (SP), na quinta-feira (dia 25), às 15h30, no Quality Sun Valley Hotel, e em Ribeirão Preto (SP), na sexta-feira (dia 26), no Araucária Plaza Hotel, no mesmo horário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.