Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

Temer viaja a SP para se reunir com advogados

Presidente é acusado de corrupção passiva com base na delação do empresário Joesley Batista, da JBS

O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2017 | 10h22

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer embarcou na manhã deste sábado, 1º de julho, para São Paulo, sem agenda oficial. No fim de semana, Temer pretende trabalhar na preparação de sua defesa à denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O presidente é acusado de corrupção passiva com base na delação do empresário Joesley Batista, da JBS. A denúncia já está na Câmara dos Deputados, e a defesa terá dez sessões para apresentar seus argumentos.

Temer pretende se reunir, em São Paulo, com seus advogados, comandados por Antonio Cláudio Mariz.

O presidente tem pressa na entrega da defesa para que o processo seja votado o quanto antes.

Fôlego. Depois de uma semana que prometia ser das piores, com a primeira denúncia, o governo considera que termina com pontos positivos, como a aprovação da reforma trabalhista na CCJ do Senado, o encaminhamento imediato do processo para a Câmara, sem uma defesa preliminar como queria Janot, além da nomeação da primeira mulher para a PGR e as decisões favoráveis do Supremo Tribunal Federal ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) e ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Para o Planalto, Aécio pode ajudar o governo a mobilizar parte do PSDB.

Nesta sexta-feira, 30, no início da tarde, depois de se reunir com Temer, no Planalto, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, o tucano Antonio Imbassahy, e o deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) seguiram para a casa de Aécio. O encontro, de acordo com assessoria de Imbassahy, foi de "cortesia".

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.