Temer tenta acordo sobre voto aberto com Alves e Renan

Ainda não está determinada a hora da reunião do presidente da República em exercício, Michel Temer, com os presidentes da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para buscar consenso sobre o texto que deve ser aprovado pelo Congresso sobre o fim do voto secreto. Essa reunião conjunta está prevista para ocorrer ainda nesta quinta-feira, 5.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

05 de setembro de 2013 | 14h00

Na manhã desta quinta, o presidente da Câmara ficou atarefado, tentando viabilizar a votação da MP 615, que trata da concessão de subsídios para compensar as perdas dos produtores de cana de açúcar e etanol, por causa da estiagem na safra 2011/2012. Não houve acordo e votação dessa MP foi adiada, mais uma vez. O presidente da Câmara prometeu uma nova tentativa para a próxima segunda-feira, 9.

Havia previsão de que Temer, Calheiros e Henrique Eduardo Alves voltassem a se reunir na manhã de hoje para falar sobre o projeto do voto aberto, mas a necessidade da presença de Henrique Eduardo Alves no Congresso impediu o encontro. Mas as conversas, em separado, que Temer teve na noite de quarta, 4, com os presidentes da Câmara e do Senado apresentaram avanços, na opinião do governo.

A Câmara propõe o fim do voto secreto em todas as votações, mas Renan quer restringir a decisão a algumas votações, como cassações de parlamentares. O Planalto não manifesta opinião sobre o tema, alegando que é uma questão do Congresso, ainda mais agora, que já há uma pesquisa demonstrando que a ampla maioria dos senadores apoia a proposta da Câmara e não a de Calheiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.